PUBLICIDADE

Marido de Maria João Abreu partilha texto escrito pela atriz sobre a “urgência do amor”

João Soares, marido de Maria João Abreu, tem partilhado frequentemente momentos e desabafos relacionados com a atriz.

PUBLICIDADE

Esta quarta-feira, o músico deu a conhecer um texto escrito por Maria João Abreu, sobre o amor.

“O Amor e a João
Em finais de 2020, a minha João foi convidada a escrever, para o Jornal Mãos Unidas, algo sobre o Amor.
Partilho aqui esse texto, para que todos possam melhor compreender o ser imenso e intenso que a minha Joao é. Porque não deixou de o ser. Nunca deixará”, começou por explicar.

“É Urgente O Amor

A sociedade impõe-nos regras, incute-nos responsabilidades e medos, dogmas e certezas, e outras vezes, incertezas. Mas permite-nos (ainda) poder falar. Felizmente!

Fala-se de política, de religião, de muitas religiões, de ciência, de factos, disto e daquilo, do que se sabe, e cada vez mais, do que não se sabe, e acabamos, sem saber, enclausurados num mundo vertiginosamente frágil.

Nele, onde todos opinamos exaustivamente sobre tudo e sobre nada, acabamos muitas vezes, em severas, agressivas, emocionadas e insultuosas discussões, das quais, quase sempre, sai apenas a raiva e o ódio, acompanhado de alguma satisfação pessoal em como conseguimos, de alguma forma, levar a nossa por diante…
É verdade que, de “de doutor e de louco, todos temos um pouco”. Mas de repente, o foco é apenas atingir o outro e fazer prevalecer a nossa razão. Perdeu-se a humildade. Perdeu-se a capacidade de acatar. De saber errar. De aceitar e de nos aceitarmos. A Todos. Uns aos outros. Aos outros, especialmente.

Duas das maiores capacidades do ser humano são amar e perdoar. Só assim teremos a liberdade interior a vontade inexorável de explorar os desígnios da humanidade. Só assim, aquela chama interior que em princípio todos teremos, brilhará. Será essa a ignição perfeita para termos a paz necessária que nos fará sentir solidários.

É urgente o foco em cada um de nós.
É urgente ser singular, mas pensar colectivo.
É urgente deambular pelas ruas sem deixar de olhar os outros.
É urgente acabar com esta inércia que nos prende e nos esvazia os sentimentos.
É urgente caminharmos confiantes, sem medos e sem julgamentos.
É urgente construir um mundo mais justo e talvez, com sorte, perfeito.
É urgente o Amor.
Porque só o Amor pode salvar.”

Maria João Abreu”