PUBLICIDADE

Maria Vieira arrasa programa de Bruno Nogueira: “Tão mau, tão entediante e tão absolutamente medíocre”

‘Princípio, Meio e Fim’, o novo programa de Bruno Nogueira estreou este domingo na SIC. O formato foi líder de audiências e motivo de muitos elogios e também criticas.

PUBLICIDADE

A atriz São José Lapa recorreu ao Facebook para mostrar o seu desagrado.“Mas não é um programa de humor, o tal do Nogueira…é uma coisinha. Escatologia, sexo e umas tantas cara****** são elementos primordiais de qualquer merda”, atirou.

Maria Vieira ficou curiosa com o comentário da colega de profissão e resolveu andar para trás na box e ver o primeiro episódio. No Facebook, a “parrachita” também deixou duras criticas ao novo programa da SIC.

“Há já muito tempo que eu não perco o meu tempo a ver televisão portuguesa e por isso nem sequer tinha conhecimento da existência deste auto-proclamado programa de humor, mas depois de ver a opinião revelada pela minha ilustre colega – São José Lapa – sobre o mesmo, confesso que fiquei curiosa e resolvi fazer “rewid” na “box” e tentar espreitar o que de tão mau se teria passado na SIC.
Dois minutos depois de começar a ver aquilo, fiquei tão estupefacta e tão entediada que comecei a fazer “fast-forward” no comando da TV para descobrir se algo minimamente interessante ou que no mínimo fizesse algum sentido, se passaria lá mais para a frente e menos de 10 minutos depois, ainda atordoada por aqueles pedaços de coisa nenhuma, pelo pseudo-intelectualismo e pela mediocridade do pouco a que consegui assistir, acabei por desistir e desliguei a porcaria da televisão!
Confesso que mais de metade daquilo que eu fiz na televisão portuguesa foi lixo puro e duro e reconheço que muito do que fiz, fiz porque nem sempre nos podemos dar ao luxo de escolher aquilo que fazemos na pantalha e, enfim, porque todos nós temos que ganhar a vida, não é verdade? Mas tão mau, tão entediante e tão absolutamente medíocre como aquilo que eu vi aquele grupo de pessoas fazerem, eu tenho a certeza que jamais fiz!
E o que mais custa é ver o Nuno Lopes – um actor talentoso e multifacetado – a fazer parte daquela ridícula palhaçada, porque os outros todos são o que são, mas o Nuno é um ACTOR, caramba!
Resumindo e concluindo: a São José Lapa, que é uma respeitada e talentosa actriz com quem trabalhei várias vezes ao longo da minha carreira e com quem contracenei num dos últimos filmes portugueses que fiz (“A Canção de Lisboa) parece ter toda a razão sobre a apreciação que faz daquela “coisinha” que passou na SIC e eu fico com a sensação de que, nos tempos que correm, para se fazer televisão, cinema ou teatro em Portugal é preciso ser de Esquerda, ser pós-moderno, elogiar ou apoiar o Costa e o Marcelo, dizer mal do CHEGA e do André Ventura e “last but not the least”, pintar as beiçolas de encarnado!”