PUBLICIDADE

Maria João Abreu em estado “muito grave”: “Tiveram de retirar o osso do crânio…”

Maria João Abreu continua internada no Hospital Garcia de Orta, em estado “muito grave”, avança o Correio da Manhã. Perante as complicação do aneurisma, foram aplicadas medidas extremas para tentar estancar hemorragias.

PUBLICIDADE

“Tiveram de retirar o osso do crânio para fazer a descompressão da hemorragia“, explicou uma fonte à publicação.

O médico especialista em Neurocirurgia Vascular e da Base do Crânio, Bruno Lourenço Costa, explicou que este é um procedimento de última linha: “É um tratamento de fim de linha. Na craniectomia descompressiva, é retirada uma parte do crânio para que o cérebro não continue apertado. Esse tratamento é o último recurso para tratar a pior consequência de um aneurisma que não responde aos medicamentos“.

“Normalmente, o coma induzido não se deve estender para lá de uma semana. O que pode acontecer é retirar-se os medicamentos que estão a induzir o coma e o paciente não recuperar. E aí significa que existe uma lesão gravíssima“, afirma ainda.