PUBLICIDADE

Maria Botelho Moniz revolta-se em direto: “É uma vergonha. Estou indignada”

Maria Botelho Moniz ficou visivelmente irritada e indignada com o caso delicado de Leandro, um jovem de 20 anos que ficou tetraplégico depois de ter sido agredido na escola.

PUBLICIDADE

A convidada do programa ‘Dois às 10’ revelou a história do irmão e conta que a instituição de ensino não se responsabilizou pelo sucedido e que espera que seja feita justiça.

“A nível de escola há uma frieza gigantesca, a diretora da escola que fez o máximo possível pelo meu irmão (…) mas quando fui buscar os pertences dele (…) fui tratada com uma criminosa (…) a eu era sempre colocada numa salinha à parte para que ficasse abafado ali a situação”, contou Fabiana.

Cláudio Ramos referiu que a produção do programa “Dois às 10” contactou a escola e a Segurança Social, e ambas as instituições negaram dar qualquer depoimento ou ajuda.

Maria Botelho decidiu intervir e mostrou-se envergonhada com a situação.

“A minha pergunta para esta escola é: o que é que vocês andam a fazer à vossa vida? Porque é esta a imagem pública com que vão ficar, é a imagem de que deixam os vossos meninos ficar neste estado e não fazem absolutamente nada, isto é de levar uma pessoa à loucura (…) eu estou indignada”.

“E se esta gente não quer fazer por ele, faço, faz o Cláudio, a nossa equipa (…) por amor de Deus, abram os olhos e façam alguma coisa (…) eu tenho vergonha, acho isto uma loucura”, disse, disponibilizando-se a ajudar nos tratamentos.