PUBLICIDADE

Manuel Luís Goucha desabafa sobre entrevista com Tony Carreira: “Recuso-me a escarafunchar a dor alheia. As audiências não justificam tudo”

Manuel Luís Goucha conduziu a primeira grande entrevista a Tony Carreira depois do falecimento da filha do cantor, Sara Carreira. O apresentador revela que foi a conversa “mais dura” que alguma vez teve.

PUBLICIDADE

“Aquilo foi mais uma conversa entre duas pessoas que se estimam e estão em contacto permanente uma com a outra. Nem dormi bem na noite anterior à conversa. Já entrevistei pais que perderam filhos, só que havia um distanciamento porque não os conhecia antes, ainda que tenha tido por eles um grande apreço. No caso do Tony, somos amigos e eu conhecia a Sara“, revelou à TV Mais.

Manuel Luís Goucha diz que se preparou para a conversa “com o coração” e “com pinças porque implica dor e sofrimento“.

“Tenho os meus limites, pois recuso-me a escarafunchar a dor alheia. As audiências não justificam tudo“, atirou.

O apresentador conta ainda que o músico não impôs limitações nas questões. “Pude fazer as que queria, o Tony fez-me chegar que não iria colocar entrave a qualquer tipo de questões. As minhas perguntas pegam-se nas respostas dele. Ouvi-o com o coração e fui-me abaixo“.

“Pensei em não ver porque vi os primeiros quatro minutos na TVI, quando estava a ser editada, e fiquei com os olhos molhados. Uma coisa é estar frente a frente com o Tony Carreira e rodeado de uma equipa, outra é ver a conversa no ecrã, pois ganha uma dimensão maior. Mas acabei por ver e emocionei-me várias vezes. Foi a conversa mais difícil que tive e que me marca por isso. Jamais terei outra assim. É cheia de amor e de silêncios, que pesam“.